Ouro Preto: em reunião, simpatizantes de Bolsonaro buscam solução para que banner não seja retirado

Os simpatizantes do deputado federal e pré-candidato a presidente da República Jair Messias Bolsonaro reuniram-se, na noite desta última quarta-feira (7), em busca de uma solução para evitar a retirada do banner em apoio ao presidenciável. O encontro ocorreu nas dependências do estabelecimento Ranchão, localizado às margens da BR-364, perímetro urbano da Estância Turística de Ouro Preto do Oeste.

A reunião aconteceu dias após a Prefeitura, por meio do Departamento de Concessão e Permissão, ter notificado para que fosse retirado o banner em apoio ao pré-candidato Bolsonaro, instalado na madrugada do dia 29 de dezembro de 2017, na lateral de um prédio localizado na esquina das avenidas XV de Novembro com Marechal Rondon, às margens da BR-364.

A medida foi tomada em atendimento a um ofício do promotor de Justiça Tiago Cadore, em que solicitou que a Prefeitura verificasse a legalidade da instalação do banner perante a legislação municipal.

Em torno de 100 pessoas de vários segmentos da sociedade civil organizada ouropretense estiveram presentes ao encontro organizado pelo Grupo Unidos pela Família, com apoio do proprietário do prédio onde o banner foi instalado, o empresário Marcos Antonio Marques, conhecido por Marcão.

De acordo com Marcão, o encontro teve o intuito de informar aos integrantes do Grupo Unidos pela Família, bem como a todos os demais defensores e simpatizantes do presidenciável Jair Bolsonaro, quanto à situação em relação à notificação da retirada do banner, bem como as medidas cabíveis que estão sendo tomadas para tentar reverter a situação.

Na ocasião, vários participantes tiveram a oportunidade de utilizar a palavra e se manifestar, sendo que a maioria mostrou-se indignada com a medida tomada pela Prefeitura, mesmo em atendimento à Promotoria de Justiça. Os presentes alegaram que existem dezenas de outras peças publicitárias semelhantes a de Bolsonaro, porém somente a do pré-candidatofoi notificada para ser retirada.

O advogado do proprietário do prédio onde o banner está instalado esteve na reunião e, na ocasião, explicou aos participantes do encontro quais procedimentos estão sendo adotados. Entre eles, apresentou o requerimento que foi protocolado junto ao Departamento de Permissão e Concessão solicitando que o banner seja mantido.

Em suas alegações, o advogado frisou no requerimento que o banner teria sido instalado sem autorização em razão de o proprietário, na ocasião, não ter conhecimento da necessidade de uma autorização da Prefeitura, já que se trata da fachada de uma propriedade particular.

Alegou ainda que é assegurado a todos o direito à livre manifestação de pensamento, e que o banner está instalado em local seguro e em propriedade particular. Isso não interfere no cotidiano da população, tampouco no trânsito e muito menos no direito de ir e vir dos transeuntes.

Marcão informou que será criada uma comissão para que sejam marcadas audiências com o promotor de Justiça Tiago Cadore, bem como com o prefeito VagnoPanisoly, com o objetivo de ser encontrada uma solução para que o banner seja mantido no local e que faça valer o direito fundamental de liberdade de pensamento e de expressão.



Fonte: GazetaCentral